domingo, 27 de dezembro de 2015

2015, o ano dos sonhos realizados: WE ARE THE CHAMPIONS, MY FRIEND!

(Is this the real life? Is this just fantasy? Caught in a landslide No escape from reality) aaahhhh 2015, que ano, Meu Deus! Realmente, como diz aquele meme do facebook "2015 foi o ano em que todo mundo teve um momento de surto". Literalmente. Porém, apesar dos surtos e dos problemas, aconteceram coisas esse ano que foram impares, houve muito sofrimento sim, houve uns golpes da vida, sim, mas me orgulho do que aprendi. Adorei o primeiro ano no curso de direito, foi melhor do que eu imaginava. agora sinto que minha vida está na direção certa. Está valendo a pena ter feito o esforço de abandonar a minha casa em Tailandia, meus gatos e parcialmente o meu marido pra ir atrás do que sempre sonhei. Não foi facil, nunca foi e não está sendo facil, mas me agarro na crença que depois os resultados serão maravilhosos pra todos nós. Fiz amigos maravilhosos na Unama. são pessoas amaveis, adoráveis e que com certeza quero é que conheçam meus outros amigos um dia. seria firme! (I had a dream When I was young A dream of sweet illusion A glimpse of hope and unity And visions of one sweet union) Quanto a seduc, foi o ano de cantar Bohemian Rhapsody pra ela. um dia a mais na unama, um ano a menos nessa escravidão moderna. (Beelzebub, has a devil put aside for me, for me, for me So you think you can stone me and spit in my eye?) 2015 foi um ano muitíssimo especial pois nele realizei muitos sonhos, uns dificeis e outros que julgava impossível! dentre os dificeis de realizar, estava o show do System Of a Down. Foi emocionante! As primeiras batidas da bateria de John Dolmayan, os acordes da guitarra furiosa de Daron Malakian, a irreverencia de Shavo e o vocal raivoso de protesto do Serj Tankian foi de lavar a alma. Foi Plenamente do caralho! O sonho impossivel foi eu assistir o show do Queen. Sabe o que é esperar algo pela sua vida inteira, desde a infacia, sempre com aquele sentimento de impossibilidade? Foi assim que eu cresci pensando sobre o Queen. É de conhecimento do público que Freddie Mercury morreu em 1991 de complicações da AIDS. Por isso cresci com um sentimento de "poxa morte, deixa ele vir e fazer um show!". Desde que me lembro eu gosto das músicas do Queen. Foi a primeira banda internacional que eu gostei, mesmo tão pequena, com uns 4 anos ou menos, sem saber uma palavra sequer de ingles. E eu já sabia que nunca veria um show do queen quando descobri que o maravilhoso Freddie, com aquele vocal poderoso de arrepiar, havia morrido e a banda estava inativa. Eu cresci,eu me apaixonei e casei com um fã do Queen. E aquele sentimento impar de saudades de alguém que eu nunca conheci e sempre adimirei cresceu mais ainda em mim. O queen por sua vez se apresentou com outros cantores fora do país. Até que anunciaram o show no Brasil. só de saber que eu veria Roger e Bryan ao vivo, pra mim já tava ótimo! Porém eu não sabia como o Show me tocaria pra sempre! a ponto de todas as vezes após o show eu ficar com um nó na garganta ao ouvir as musicas do Queen. foi emoção demais! Foi uma sensação tipo "eles existiram mesmo!!!" " Freddie Mercury já andou nessa terra com esses caras" e fora que a música tocada por eles é infinitamente melhor do que ficar em casa imaginando como seria ter ficado em casa e não ir a esse show. essa possibilidade não existia. Foi como vencer a morte! Sei lá, queria que por um momento todo mundo sentisse a minha felicidade de estar ali! Como diz aquele trecho de I was born to love you: eu estou presa em um sonho e meus sonhos se tornam realidade! Bryan May, Roger Taylor e o nosso frontman Adam Lambert fazem um show espetacular. Bryan May tem um olhar terno, Roger Taylor deixa qualquer molequinho novo pra baixo na bateria e o nosso polemico Adam Lambert é um cantor espetacular. Um baita interprete. E não, ele não é um Freddie Mercury(ninguém é e nunca vão ser), mas tem o seu valor. Alias, nenhum cantor se compara ao Freddie. Ele mesmo disse uma vez que não queria ser uma estrela e sim uma lenda. Vamos respeitar, ele conseguiu. Quanto aos Haters, que se fodam :D E creio que em 2016 teremos muitas coisas boas e maravilhosas nos aguardando! Principalmente a minha sobrinha, a Brendinha :D Serei titia! Claro que teremos problemas, mas 2016 não promete ser tão pavoroso como 2014, que só teve um número de eventos bons que podem ser contados nos dedos (em dois dedos). Que sejamos muito felizes em 2016 e que sempre, sempre, possamos realizar nossos sonhos! Just gimme, gimme, gimme, gimme Fried chicken!

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

um alerta: os perigos da estafa mental.

Olá meus amores! Gostaria de compartilhar algo da minha vida que serve de alerta pra vcs: a estafa.
A estafa ou também conhecida como fadiga é a exaustão do cérebro e que prejudica todas as outras atividades. Eu tenho 25 anos, trabalho numa cidade a duas horas de viagem da minha, acordo as 4h30 da manhã 3x por semana sendo professora de atuais 18 turmas (isso por que estou com um problema de lotação por que o normal é eu ter pelo menos 30 turmas), faço faculdade de direito a noite, sou casada mas não moro com o meu marido (e eu to tentando definir se isso é bom ou ruim) e só nos vemos aos finai de semana. uma hora o corpo iria pifar. Há uns tempos eu sentia já que a minha mente estava pendente. não me concentrava nas aulas, era um sofrimento sair de casa (e ainda é por que eu não me recuperei ainda), é horrivel ficar quebrando cabeça com como eu vou usar meu salário pra pagar as contas (por causa dos descontos de greve, nunca mais arquei com as contas sozinha, quem me ajuda é minha mãe), o estresse no trabalho que tava demais e ai.... BOOOOMMMM uma briga de proporções devastadores com o meu marido. nem preciso dizer que aí fudeu tudo né? Parecia que tinha passado um caminhão por mim e me transformado em patê: dói meu corpo, minha mente e minha alma. passei dois dias em que olhar pra fora de casa doía minha vista. sentir o vento era o pior espancamento. organizei pessimamente as minhas provas, falhei nas aulas do curso ao ponto de ler uma linha e voltar pro começo dela por ter esquecido. e eu não to dramatizando: é o efeito da estafa severa. O nosso cerebro quando está exausto, o corpo inteiro padece. sua memória falha, vc sofre mudanças terríveis de humor, não se concentra, tem dores no corpo ou pode desenvolver doenças aparentemente nada a ver. nos casos mais graves, pode desenvolver até uma doença autoimune. Para aliviar os sintomas, vc precisa de vitaminas, de preferencia aquelas que combatem o estress e, principalmente, desacelerar e largar os eletronicos. é essa hora que vc precisa daquele livro de colorir, ou fazer palavras cruzadas, ou brincar com seu filho ou sombrinho, sabe? fazer trabalhos manuais. isso que relaxa a mente. é como um alongamento para o cerebro. e vc tem que parar urgentemente pois pode tornar-se uma fadiga cronica ou evoluir para a sindrome de bournot, que é a sindrome do esgotamento profissional. apesar de ser do esgotamento profissional, pode atingir estudantes e até mesmo desempregados que estão exaustos de tanto formular ideias e distribuir curriculos para não ver a sua família padecer com necessidade. a sindrome de bournot já precia mesmo de acompanhamento médico e medicamentos para tratar. Eu já sofri várias vezes de estafa na vida, mas dessa vez foi de jeito. equilibre a comida, tire um tempo pra relaxar, faça atividades manuais e depois de ler esse texto, se puder, largue os eletronicos. se cuidem! :* links interessantes: Você é vítima de estafa mental? sindrome de bournout

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

não infantilize o amor: a valiosa lição do divórcio de Joelma e Chimbinha

Sim, eu ouço calypso acho que desde quando eles surgiram. Natural né, sou do Pará. mas as vezes eu acho interessante como uma notícia desses sites sobre a vida dos famosos podem nos trazer reflexões interessantes. eu nem sempre estou agarrada num livro, as vezes eu apenas quero ler besteiras. e a última besteira que surgiu foi a separação da joelma e do chimbinha. alguns podem pensar "ah mas isso é normal". sim, muito normal na vida dos famosos, porém eles se casaram e tiveram filhos e tudo isso se mistura a história da banda. e agora a banda vai definitivamente acabar. porém nem tudo é desgraça. é uma boa hora pra refletirmos sobre a infantilização do amor,achar que ele é eterno e duradouro. não é não e precisamos estar cientes disso. contos de fadas só existem nos contos de fadas. é essa crença desleal e infantil que mais nos magoa. nos magoa em nossos próprios relacionamentos e nos relacionamentos dos outros. aí se propaga cada vez mais aqueles memes sobre "ninguém ama de verdade". ama sim, mas não como imaginamos ou queríamos.
eu estou escrevendo esse post pois fiquei impressionada com a quantidade de pessoas, que nem são fãs da banda, mas que se sentiram também estarrecidas com a notícia. e muitas ainda pensando só na banda. ou pior ainda, soltam a frase "a familia é linda, continuem juntos!" Gente! acordem pra vida! que filho que vai ser feliz vendo pai e mãe brigando assim? que família que se sustenta no ódio? ódio sim, por que a joelma quer largar o negócio da calypso, que com certeza os deixaram milionários, que rendeu fãs por tudo que é canto, de lado. ela quer abandonar um projeto de vida somente pra não estar com o chimbinha. deixem de ser ridículos e deixem a mulher em paz. imagina só vc largar seu sustento só pra não ver a pessoa? eu não queria estar na pele dela. se bem que sabendo que a joelma é uma bussiness womam, ela já deve ter uma carta na manga, mas notoriamente o chimbinha não tem absolutamente nada, nem profissional, nem emocional. o chimbinha é a prova que homem não ve bem essa onda de divórcio. o que falta, não só pra ele, mas pra vários homens é inteligencia emocional. precisamos trabalhar a inteligencia emocional dos homens. o papo mais ridiculo que ele fez é tentar barrar que vá ao ar, no sabado, o anuncio que joelma fez na tv sobre o fim da banda. é como se ele quisesse dar uma de beyoncé saindo do elevador e fingir que a vida está se ajeitando. por que essa posse? por que alimentar essa amargura? se vc ama, deixe o outro ir. eu acho que amor e paixão tem prazo de validade, se passar disso, estraga. e aí se repetem mais cenas como a do video simpático da joelma jogando indireta no show do calypso. fica ruim entre os dois e para os dois. eles são humanos e nós tbm. o amor é infinito enquanto dura, depois disso, vira mágoas no facebook. acho que todos nós precisamos encarar os fins de frente e se preparar para o novo. a joelma, desejo que cure esse coração.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

BERLIM 1945, A QUEDA








  Como disse antes, aqui vai minha resenha sobre o livro de Antony Beevor. Uma obra com 600 páginas de informações sobre os últimos meses do Reich, da Frente Oriental à Capital Nazista.
   O livro começa falando do Natal de 1944, da vontade soviética de se vingar da ação de Lenigrado, em especial das tropas estacionadas com seus generais. Também se fala de como a cúpula nazista estava preocupada com a guerra em duas frentes, inclusive com a "Ceia de Natal" só a base de batata.
 A experiência de Stalingrado, expondo todas as mazelas ao máximo, criou um espírito de "germanofobia" enorme, graças a  e ao próprio Stalin.
  E se alguém ainda não sabe o significado de "vender a alma ao Diabo", o livro é bem didático nessa parte: Stalin realmente sendo uma demonização do ser humano: ganhando mais do que deveria em critério de informação, dizendo ser a favor de uma democracia na Polônia e em outros países que depois teriam seus governos alinhados como satélites a Moscou.
  Ouso dizer que Beevor mudou uma "verdade da vida", pois fica claro que a Guerra Fria começou ainda na Segunda Guerra Mundial, mas especificamente na Conferência de Yalta, em fevereiro de 1945.
    Voltando a falar do front, é interessante como é mostrado a gana dos soldados soviéticos, que eram em maior número, e o desespero das populações civis da cidades que seriam "libertadas do jugo nazista" para um período de paz e fraternidade.
   A germanofobia que imperava nas tropas, fazia com que as mesmas não se preocupassem em apenas esmagar a resistência nazista, mas também em tirar proveito do que era visto. Cabe dizer, pelo texto, que os soviéticos não dispunham de praticamente nada de material proveitoso em seu dia-a-dia.
   Com soldados de todas as partes da União, onde hoje são países como Turquemenistão, Uzbequistão a regiões como a Sibéria, ao entrarem nas casas do alemães simplesmente ficavam fascinados.
     Mesmo nas mais humildes, o que eles encontravam era superior, e muito, ao que tinham em suas casas.
      Se não bastasse a pilhagem de material, houve diversos assassinatos de pessoas que não poderiam se adequar ao sistema libertador do camarada Stalin, como por exemplo pessoas que tivessem posses e que receberam bem os russos foram executadas tão somente por serem donas de terra.
    Mas também não se pode esquecer sobre a questão dos estupros praticados pelo Exército Vermelho (EV), que eram sistemáticos ou não, de moças de 12 anos à freiras e enfermeiras idosas. Talvez, se é que pode ter maior infâmia, o pior foi o estupro de centenas de mulheres russas e ucranianas, que estavam em território alemão. 
     As mesmas foram levadas como escravas, e quando pensaram que teriam sua vida de volta, depois de anos trabalhos forçados, foram consideradas traidoras da Pátria ou fracas e deveriam sofrer o mesmo que as alemães. Os homens que também foram resgatados, também tiveram um tratamento diferente do que se imaginava, quem tivesse condição iria se juntar ao EV, do contrário prisões em Moscou e na Sibéria.
     O autor causa uma polêmica ao tentar explicar o estupro como ato sexual, pela parte do agressor, e não como um dos crimes mais vis que o ser humano pode praticar.
     Voltando ao confronto, o EV inventou uma tática de "Show de Rock" ou "Ataque de Gandalf e os Rohirins" . Centenas de holofotes de aeroportos numa extensão de quilômetros cegaram as defesas alemães de madrugada, enquanto a infantaria fazia sua parte.
      Do lado alemão, os covardes do partido nazista saiam as dúzias de Berlim, deixando os oficiais da Wehrmach com um gosto doce de sarcasmo no ar, e ao mesmo tempo azedo, pois eles teriam que defender a cidade, e tropas e munições não existiam em número suficiente.
      Isso se deve a loucura de Hitler, que assim como na Prússia Oriental, decidiu não perder mais nenhuma cidade. Inventava exércitos,tecnologias e com isso perdeu homens para defender Berlim.
     Dai em diante, o que se lê é quase um roteiro do filme das memórias de Traudl Junge, dramatizado no filme "A Queda, as Últimas Horas de Hitler", só que com um pouco mais de detalhes, e até mais visceral.
      Antes de finalizar, quero dizer que se existe mesmo um inferno, o mesmo tem em sua área Hitler, Goebbels, Himmler, Matin Bormann, Goering, Stalin, Beria, Abukamov e o Chefe da propaganda Soviética lugares cativos. Milhões de vida poderiam ser poupadas se eles tivessem um pouco de humanidade. E isso só no período de janeiro a maio de 1945.
       Alguém pode questionar o porque de se falar tantos dos soviéticos. A solução é simples: caso o Dia D tivesse falhado, os russos é que tomariam conta. E não saberíamos que tipo de mundo viveríamos.
        Excelente livro. Altamente recomendado. Destaco os capítulos 01, 03, 10, 13, 16, 18, 21, 22, 23, 27 e 28.
        Nota 10,0. com Louvor.



quinta-feira, 14 de maio de 2015

sobre incesto, fidelidade e a perda da paternidade

esse texto é de um terreno muito arenoso e perigoso: meu coração. então não julgue por que coração é terra que ninguém pisa. finalmente, após longos anos de amargura e sofrimento, minha mãe expulsou meu pai de casa. mas não é qualquer separação. houve muitas coisas e, apesar de eu sentir como minha mãe se sentia mal, imaginava que era briga que todo casal tinha, mas não. tenho uma prima que é puta. desde a infância convivia com ela. nunca fui com a cara dela. agora descubro que meu pai pagava ela pra transar. minha cabeça ficou a mil. parecia descoberta de novela. claro que sempre que vemos um relacionamento, não queremos que haja traição, por mais que no fundo no fundo, saibamos que sempre seremos sujeitos a isso.(não diga que todo mundo é 100% fiel por que sempre, uma hora caímos. e não é desculpa de canalha. é biológico. hipocrisia agora não) são fatos da vida. mas isso que ele fez? é além de traição. é mais do que um transa qualquer, sem importancia. quando se torna mulher, aprendemos que o sexo é e pode sim ser feito sem amor, só pra satisfazer as necessidades carnais e as vaidades da alma. mas o incesto? incesto é imundicie. é além do sexo. é uma depravação. não é natural. é nojento, horrendo. sei que foi entre dois adultos, maiores de idade, mas isso é demais. também sei que o casamento dos meus pais nunca foi lá essas coisas, mas precisava desse desfecho vergonhoso? bastava um divórcio. divórcio tem honra sim! divórcio também pode ser um objeto de respeito entre as partes! minha mãe expulsou ele de casa e fiz questão de descer com as coisas dele. arrumei no carro e, aos gritos, disse para ele nunca mais vir em casa. que a nossa relação de pai e filha era e sempre foi horrorosa. que ele, quando me visse na rua, jamais viesse falar comigo. e que as únicas coisas boas que ele fez na vida, foram eu e a minha irmã. e assim encerrou a minha linha paterna. o cordão frágil da paternidade que me ligava a ele, antes meu pai, agora um completo estranho, não existe. dói, mas foi libertador gritar aquilo. não falei mais por que minha mãe me chamou. sei que não sou perfeita, mas nunca faria algo assim. não digo que nunca trairia por que nunca se sabe o dia de amanhã. só posso responder pelo o que eu fiz e não pelo o que posso fazer. mas nunca decepcionaria minha família assim, encher de desonra. meu pai veio de um lar desestruturado, provocado pelo pai dele que também destruiu a vida da minha avó. família pobre de passar fome. mas ele sempre se virou e assim conseguiu a estabilidade financeira. eu e minha irmã estudamos em escolas particulares, brinquedos, lanche no shopping, a segurança de uma casa própria. acesso ao bom e do melhor. mas, mesmo assim, fez as mesmas canalhices. alias, fez canalhices piores. agora, não sei que rumo tomar. pai não quero mais ter, se é que um dia eu tive. procurei tanto pelo afeto paterno que me faltou em casa e agora mesmo que descobri que não tenho e nunca terei um pai de verdade. talvez nunca tive. quem ama a família não a destrói. vivi com isso há anos entalado em mim e posso dizer que estou livre. quero somente ajudar a minha mãe a se reerguer. pelo menos ela me ama e sempre me protegeu. agora é minha vez de fazer por ela. quero dar um conselho ao leitor: depois de hoje, comecei a aceitar o fato real de que casamentos são imperfeitos mesmo e estamos sujeitos a traições. mas existem traições e imundicies. se vc não presta a ponto de fazer uma barbarie na vida do seu parceiro, não case. se vc é direito e tem o mínimo de respeito pela sua família, pode casar. obrigada por permitirem eu desabafar. agora não sofro mais com papo de dia dos pais. o sufoco da convenção social acabou.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

...Dom Vicente Zico era o retrato do amor...

A sinceridade é o forte desde meu blog, então gostaria de dizer que eu gosto de ritos funerários. As palavras batem em nossa alma fragilizada pelo momento e nos fazem refletir sobre a nossa vida, que é tão tenue com o limite da morte. Sobre a morte, muitas perguntas, muitas tentativas de respostas e quase nada que nos satisfaça. Porém, há momentos em que é possivel chegar perto da linha tenue e ver o além. Segunda, faleceu nosso Bispo Emérito de Belém, Dom Zico. Alguém que eu tenho um enorme apreço, carinho, amor e respeito. Uma vez numa celebração para jovens, tive a oportunidade de chegar perto dele e ele me dar sua benção. Emana dele paz e amor. Ternura. Guardei comigo aquela imagem, aquele sorriso. Era um homem de acalentar corações aflitos. Era o meu retrato do que as pessoas que acreditam em Deus e sua infinita misericórdia deveriam sentir e transmitir, tranquilidade e aquele sorriso de "estamos com Deus e Deus é amor". Levei comigo. Nunca esqueci. Agora com seu falecimento, eu já mulher, adulta, me emocionei. Me tremi quando li na internet que ele havia morrido. fiquei feliz quando ele disse a família que queria passar os ultimos momentos aqui, pois eu não queria que ele morresse, mas acredito que as pessoas sabem quando chega a sua hora. a hora que separa vivos e mortos, o material do espiritual, de conhecer o que de fato há do outro lado. Fiquei feliz pois ele escolheu para sua hora mais sublime descansar nas terras que ele tanto amou. perto do povo que o tanto amou. Eu não frequento mais a igreja, apesar de ser extremamente devota e ter uma fé inabalável em Nossa Senhora de Nazaré, mesmo assim, acredito que o clamor e a fé do povo tornarão o que Dom Zico foi pra nós: um santo. Um ser divino. Não sei direito como o processo de beatificação funciona, mas penso que um exemplo de amor fraterno como o dele deve ser incentivado pela igreja. Se ele fará milagres? claro que sim! Ele já fazia em vida. Era um homem generoso com o próximo, Coisa que metade de nós não é. Era um homem que despertava a fé. Chamava as pessoas para conhecer o amor de Deus. Um santo começa com o clamor popular. Acho que hoje já percebemos que Dom Zico nos dá amor de lá do paraíso, onde ele deve estar. Que ele está com Nossa Senhora de Nazaré, de quem era tão devoto. Tentei ir ao velório, mas pra ser sincera, me acovardei. Não teria coragem de ver um sorriso acolhedor daqueles apagado. Prefiro lembra-lo de quando era menina e a benção que me deu. pegou minha mão e tive a oportunidade de sentir aquela paz de Deus.
Vá em paz, Dom Zico. A lição de amor fraterno e despretensioso ficou em nós. *** gostaria de publicar pra voces esse textinho que escrevi no facebook quando soube que Deus havia chamado Dom Zico para descansar: "O que dizer? Dom Vicente Zico era o retrato do amor, da paz, tranquilidade, da velhice feliz que almejamos. Ele é um santo. Ele é pra mim, a representação de tudo que há de bom. Difícil haver outro. Te amamos, nosso mineiro paraense, filho amado de nossa senhora de Nazaré. O círio será diferente esse ano, porém sempre com sua luz e presença em nossas vidas. Amanhã tentarei me despedir do senhor. E que o senhor interceda por nós. Que Deus te receba meu bispo. Amém."

quarta-feira, 15 de abril de 2015

reflexões sobre minha vida.

As vezes, a vida se encarrega de ter dar uma rasteira. Nos imaginamos inatingíveis, inabaláveis quando tudo está calmo demais. As vezes eu sinto que falta algo na minha vida. As vezes eu fico feliz quando minha vida está um caos. O mesmo caos que, as vezes, tem o poder de derrubar. Destruir. Sinto que dentro de mim habita uma paixão. Uma paixão sem direção, que precisa ser depositada em algo. Já me joguei no casamento, já me joguei no direito, mas ainda falta algo. Não sei o que é e não se saio a procura.
Imagino que isso acontece com pessoas como eu. Eu tenho 25 anos e já tenho responsabilidades e uma vida que a maioria das pessoas que eu conheço ainda não tem ou nem terão. As vezes tenho uma mente doida de adolescente, afobada, destruidora, capaz de arrasar o mundo. As vezes me sinto uma velha. Tenho ciúmes tanto das minhas coisas, como uma criança pequena, como do meu marido, como uma mulher adulta. Fico em dúvida se isso são descobertas, se um dia não farei uma merda, ou se é assim mesmo. “sou jovem pra ser velha e velha pra ser jovem”. Difícil viver. As vezes eu queria um spoiler da vida, me dizendo que pelo menos, no final aquietarei meu coração e serei feliz, colherei o melhor de minhas escolhas. Que não sofrerei tanto como eu imagino. As vezes eu me amo, adoro ser eu. Mas as vezes queria não ser. tantos sonhos que numa fração de segundos podem acabar, como lidar? como agir? Ah essa paixão. Ela sufoca, mata. Precisa ser jogada pra algum canto. Agora, paixão de que?